Grupo de estudos sobre a profissão jornalística

Achei uma mina de ouro!

Grupo de Estudios sobre la Profesión Periodística

El grupo orienta su quehacer al desarrollo de investigación empírica en torno a la enseñanza y el ejercicio del periodismo, a propiciar redes de intercambio académico-científico, y a la generación de espacios de diálogo y de debate permanente entre el mundo académico y profesional.

El grupo es liderado por la Escuela de Periodismo de la Universidad de Santiago, y en él también participan académicos nacionales de diferentes universidades, así como investigadores de distintos países.

Quer saber mais? Entra aqui.

Jornalismo de dados: as estatísticas

Trabalhar com estatísticas é difícil. Achá-las é difícil, compreender é trabalho de paciência e análise, passar para o leitor de um modo claro nem se fala. Por isso surigo a leitura de um artigo do Knight Center for Journalism in the Americas. Leia!

Entendendo estatísticas: Um guia para jornalistas

À medida que bancos de dados de informação bruta se tornam mais comuns e cada vez mais disponíveis para o público, entender e efetivamente usar estatística se torna mais importante do que nunca para os jornalistas. Apesar da conveniência de se esconder atrás da frase “eu não faço matemáticas; Sou escritor”, chegou o momento dos jornalistas contestarem a ideia de que os números são os seus maiores inimigos e provarem que nem todos os veículos tropeçam quando se trata de lidar com números.

Continue aqui.

Ensino de Jornalismo no Chile – Universidad Católica

A Pontificia Universidad Católica de Chile é uma das instituições mais renomadas do país e foi fundada em 1888. A Faculdade de Comunicações tem 50 anos e possui licenciatura em Comunicação Social, com título de jornalista ou diretor audiovisual.

De 2005  a 2010, o número de vagas diminuiu de 110 para 97 e a faculdade possui um plano comum de estudos em Comunicação durante dois anos para ambas as carreiras. Os estudantes podem, inclusive, montar a grande curricular de uma forma flexível.

Tanto a universidade, como a Faculdade de Comunicações, sempre aparece na primeira colocação dos rankings chilenos de ensino superior. Confira abaixo as classificações das revistas Qué Pasa 2009 e América Economía 2010.

Em uma pesquisa que a universidade realizou com os estudantes de Jornalismo que ingressaram desde 2002, constatou-se os seguinte dados:

Sobre o corpo docente, são mais de 80 professores, 29 deles com dedicação completa. Abaixo, as qualificações profissionais:

Por fim, o curso de jornalismo foi acreditado pela terceira vez pelo Conselho para a Educação em Jornalismo e Comunicação de Massas dos Estados Unidos (ACEJMC). É a única instituição fora dos Estados Unidos a ser acreditada e recreditada desde 1998.

Fonte: http://comunicaciones.uc.cl/

Mapa colaborativo sobre ameaça ao jornalismo no México

O Knight Center for Journalism in the Americas fez um mapa interessante com as ameaças ao jornalismo no México. Através do Google Maps, a pesquisa assinalou assassinatos, sequestros e ataques armados.

Utilizar a ferramenta do Google para iniciativas como essa é simples, eficaz e cumpre muito bem a proposta, já que o mapa pode sempre ser atualizado, é público e feito com colaboradores. Oferecer essas informações visualmente faz diferença na temática, pois podemos ver localidades do México que sofrem mais com a falta de liberdade de imprensa e constante ameaça contra jornalistas. Em cada caso, há uma pequena descrição do ocorrido e você pode conferi-lo por ordem cronológica.

Confira o mapa completo aqui.

Uma escola só de Jornalismo

A Escuela de Periodismo Carlos Septién García foi a primeira escola mexicana de Jornalismo. Fundada em maio de 1949, ela foi reconhecida pela Secretaria de Educação Pública apenas em julho de 1976.

O curso de graduação tem oito semestre, e a pós é realizada em quatro trimestres, com direcionamento em Jornalismo Econômico ou Jornalismo Político.

Confira aqui o plano de estudos de graduação da escola.

Como código de ética, a escola preza pelos seguintes princípios:

  • Prepárate académica, ética y moralmente al ejercicio de tu vocación de periodista.
  • Presenta los hechos con honradez y sin omisiones.
  • No estés motivado por interés personal, mucho menos admitas “la dádiva que amordaza y la presión que atemoriza”.
  • Acepta que no eres infalible.
  • Frente a cualquier tipo de freno a la libertad, levanta la verdad como medio de obtener la justa información y, por ende, la justicia informativa.
  • Apoya a quienes sostengan y defiendan cualquiera de estos puntos.

A escola também tem uma lista de prêmios recebidos por ex-alunos, que trabalham nas mais diferentes mídias.

Fonte: Site oficial da Escuela de Periodismo Carlos Septién García

Centros de Ensino e Fundación Nuevo Periodismo

Compartilhando link interessante que a Marina Garib já postou:

Centros de Enseñanza del Periodismo: o site reúne algumas escolas e universidades que têm o curso de Jornalismo em países da América Latina e também na Espanha.

Aqui também vai outro link:

Fundación Nuevo Periodismo Iberoamericano

A fundação nasceu através da preocupação do escritor Gabriel García Márquez em estimular a boa história no Jornalismo. Estabelecida na Colômbia em outubro de 1994, sua primeira atividade foi um encontro internacional, organizado conjuntamente com o Comitê de Proteção de Jornalistas de Nova York (CPJ), em março de 1995, que tratou de temas como a liberdade de imprensa e a proteção da atividade jornalística.

De março de 1995 até 2008, mais de 5 mil pessoas já participaram de atividades da FNPI, que realizou cerca de 250, entre oficinas e seminários de Jornalismo, inclusive em outras cidades e países.

Conheça os projetos e redes da Fundación aqui. E se você é estudante ou profissional da área de Jornalismo, pode registrar-se para receber notícias e ter acesso a área esclusiva no site aqui.

Ensino de jornalismo no Chile

Em um encontro com professores de Jornalismo do Brasil em abril de 2010, Miguel Paz, jornalista e professor chileno, trouxe alguns números sobre o ensino de jornalismo no seu país:

– São 36 escolas de jornalismo: 10 universidades públicas e 26 privadas. Nenhuma gratuita.

– A metade das universidades não exige requisitos mínimos para ingresso. Somente 6 das 36 escolas são credenciadas (duas privadas).

– A cada ano, são 950 jornalistas novos, num total de 12 mil profissionais qualificados (8 mil deles com menos de 35 anos).

– Em 1999, a carreira era a quarta favorita. Em 2005, ela não figura entre as dez primeiras.

Mais informações sobre o ensino de jornalismo e sua relação com o mercado de trabalho e com os meios de comunicação aqui.

Federación de Periodistas de América Latina e el Caribe

À procura de números que me contassem sobre essa profissão, achei o site da Federación de Periodistas de América Latina e el Caribe (FEPALC). A região em que vivemos é líder em violências contra jornalistas, e no site você encontra diversas informações sobre isso. Confiram em: http://www.fepalc.org

O portal também possui uma seção de Educação em Jornalismo aqui.

¡Bienvenido!

Primeiramente, a apresentação: esse blog faz parte da construção de um site, que tem como tema o ensino de Jornalismo no mundo. O trabalho está inserido na disciplina Jornalismo Online, da Escola de Comunicações e Artes da USP, ministrada pelo professor Eugênio Bucci.

Aqui você poderá acompanhar “os bastidores da notícia e os desafios da reportagem”, como diria Caco Barcellos. A ideia é relatar nesses espaços – ao lado você confere os links de blogs similares – nossas reflexões e apuração na construção do portal.

Especificamente no Conexión Periodismo falarei de estatísticas relacionadas à profissão de jornalista (profissionais formados, número de redações etc.), de formação de professores universitários e linhas de pesquisa e, por último, do funcionamento dos estágios. Ah, tudo isso na América Latina. Porém, nada impede que este seja um espaço de reflexão sobre o Jornalismo como um todo.

Boa leitura. =)