Ensino de Jornalismo no Chile – Universidad Católica

A Pontificia Universidad Católica de Chile é uma das instituições mais renomadas do país e foi fundada em 1888. A Faculdade de Comunicações tem 50 anos e possui licenciatura em Comunicação Social, com título de jornalista ou diretor audiovisual.

De 2005  a 2010, o número de vagas diminuiu de 110 para 97 e a faculdade possui um plano comum de estudos em Comunicação durante dois anos para ambas as carreiras. Os estudantes podem, inclusive, montar a grande curricular de uma forma flexível.

Tanto a universidade, como a Faculdade de Comunicações, sempre aparece na primeira colocação dos rankings chilenos de ensino superior. Confira abaixo as classificações das revistas Qué Pasa 2009 e América Economía 2010.

Em uma pesquisa que a universidade realizou com os estudantes de Jornalismo que ingressaram desde 2002, constatou-se os seguinte dados:

Sobre o corpo docente, são mais de 80 professores, 29 deles com dedicação completa. Abaixo, as qualificações profissionais:

Por fim, o curso de jornalismo foi acreditado pela terceira vez pelo Conselho para a Educação em Jornalismo e Comunicação de Massas dos Estados Unidos (ACEJMC). É a única instituição fora dos Estados Unidos a ser acreditada e recreditada desde 1998.

Fonte: http://comunicaciones.uc.cl/

Anúncios

Mapa colaborativo sobre ameaça ao jornalismo no México

O Knight Center for Journalism in the Americas fez um mapa interessante com as ameaças ao jornalismo no México. Através do Google Maps, a pesquisa assinalou assassinatos, sequestros e ataques armados.

Utilizar a ferramenta do Google para iniciativas como essa é simples, eficaz e cumpre muito bem a proposta, já que o mapa pode sempre ser atualizado, é público e feito com colaboradores. Oferecer essas informações visualmente faz diferença na temática, pois podemos ver localidades do México que sofrem mais com a falta de liberdade de imprensa e constante ameaça contra jornalistas. Em cada caso, há uma pequena descrição do ocorrido e você pode conferi-lo por ordem cronológica.

Confira o mapa completo aqui.

Uma escola só de Jornalismo

A Escuela de Periodismo Carlos Septién García foi a primeira escola mexicana de Jornalismo. Fundada em maio de 1949, ela foi reconhecida pela Secretaria de Educação Pública apenas em julho de 1976.

O curso de graduação tem oito semestre, e a pós é realizada em quatro trimestres, com direcionamento em Jornalismo Econômico ou Jornalismo Político.

Confira aqui o plano de estudos de graduação da escola.

Como código de ética, a escola preza pelos seguintes princípios:

  • Prepárate académica, ética y moralmente al ejercicio de tu vocación de periodista.
  • Presenta los hechos con honradez y sin omisiones.
  • No estés motivado por interés personal, mucho menos admitas “la dádiva que amordaza y la presión que atemoriza”.
  • Acepta que no eres infalible.
  • Frente a cualquier tipo de freno a la libertad, levanta la verdad como medio de obtener la justa información y, por ende, la justicia informativa.
  • Apoya a quienes sostengan y defiendan cualquiera de estos puntos.

A escola também tem uma lista de prêmios recebidos por ex-alunos, que trabalham nas mais diferentes mídias.

Fonte: Site oficial da Escuela de Periodismo Carlos Septién García

Centros de Ensino e Fundación Nuevo Periodismo

Compartilhando link interessante que a Marina Garib já postou:

Centros de Enseñanza del Periodismo: o site reúne algumas escolas e universidades que têm o curso de Jornalismo em países da América Latina e também na Espanha.

Aqui também vai outro link:

Fundación Nuevo Periodismo Iberoamericano

A fundação nasceu através da preocupação do escritor Gabriel García Márquez em estimular a boa história no Jornalismo. Estabelecida na Colômbia em outubro de 1994, sua primeira atividade foi um encontro internacional, organizado conjuntamente com o Comitê de Proteção de Jornalistas de Nova York (CPJ), em março de 1995, que tratou de temas como a liberdade de imprensa e a proteção da atividade jornalística.

De março de 1995 até 2008, mais de 5 mil pessoas já participaram de atividades da FNPI, que realizou cerca de 250, entre oficinas e seminários de Jornalismo, inclusive em outras cidades e países.

Conheça os projetos e redes da Fundación aqui. E se você é estudante ou profissional da área de Jornalismo, pode registrar-se para receber notícias e ter acesso a área esclusiva no site aqui.

Ensino de jornalismo no Chile

Em um encontro com professores de Jornalismo do Brasil em abril de 2010, Miguel Paz, jornalista e professor chileno, trouxe alguns números sobre o ensino de jornalismo no seu país:

– São 36 escolas de jornalismo: 10 universidades públicas e 26 privadas. Nenhuma gratuita.

– A metade das universidades não exige requisitos mínimos para ingresso. Somente 6 das 36 escolas são credenciadas (duas privadas).

– A cada ano, são 950 jornalistas novos, num total de 12 mil profissionais qualificados (8 mil deles com menos de 35 anos).

– Em 1999, a carreira era a quarta favorita. Em 2005, ela não figura entre as dez primeiras.

Mais informações sobre o ensino de jornalismo e sua relação com o mercado de trabalho e com os meios de comunicação aqui.